fbpx
Imprimir esta página
Sexta, 13 Agosto 2021 00:00

Útero Retrovertido

Escrito por Equipe de Gestão de Mídias Sociais - Andrômeda Web Marketing
Avalie este item
(0 votos)

Estudos mostram que, entre 15% e 25% das mulheres apresentam o útero retrovertido.

O útero é um órgão oco, com o formato aproximado de uma Pêra invertida, localizado no interior da pelve (bacia), sua extremidade superior chama-se fundo. A porção inferior, mais estreita, em contato direto com a parte de cima da cavidade vaginal, recebe o nome de colo, cérvix ou cérvice. Entre o fundo e o colo está o corpo do útero, o segmento mais dilatado de todo o sistema reprodutor feminino constituído por espessa camada de musculatura lisa (miométrio).

O útero invertido ou retroversão uterina é a denominação do útero que está virado para trás no corpo da mulher, em direção às costas e, não voltado para frente, como existe na maioria das mulheres, ser comum também que o restantes órgãos, como os ovários e as trompas, também estão voltados para trás.

O útero retrovertido (cientificamente conhecido por retroversão uterina), ao contrário do que muitos pensavam no passado, não é responsável pela infertilidade feminina. Essa posição é uma variante anatômica normal e não costuma ter consequências graves para a saúde da mulher ou do feto. É geralmente descoberto em exames ginecológicos de rotina. A ultrassonografia transvaginal é um exame útil que deve ser recomendado para confirmar o diagnóstico.

No decorrer da gestação, o útero retrovertido não vai trazer riscos nem para a mãe, nem para o bebê, dado que assume uma posição mais próxima da correta com o aumento do seu tamanho, possível o parto vaginal. Porém, o médico é quem dirá qual será o melhor procedimento.

Se você sente algum dos sintomas, ou mais de um em conjunto, agende uma consulta para investigação e tratamento.


Dra. Isabela de Oliveira Cunha – Ginecologista Obstetra – CRM 52.96157-4 RJ
Rua Santa Clara 50 - Sala 603 - Copacabana - Rio de Janeiro - RJ

Ler 102 vezes